Sobra Tempo para o Desejo Sexual de uma Super Mulher?

Curioso isto de relacionar desejo com tempo, aquele do relógio, que sobra tão pouco a todas as super mulheres. Serão variáveis dependentes uma da outra? Sim! Aliás, o tempo tem essa capacidade – de ter a seu cargo uma longa lista de “coisas” dependentes de si mesmo. O desejo, o sexo, o desejo sexual, são algumas dela. Como já nos aconselhou a sexóloga Marta Cutim Xavier, o tempo conta tanto que o simples facto de o casal ir para cama à mesma hora, contribuiu para uma vida sexual melhor e mais ativa.

Guardar tempo. Ele corre, a uma velocidade nada desejável, e contrariar os ponteiros, com a vida às cavalitas, pode parecer impossível e um esforço desnecessário quando toca ao sexo. Errado. A sexóloga Marta Cutim Xavier explica as coisas como elas são: não vale achar que o sexo não é prioridade. O instagram não é. O facebook não é. A Netflix não é. Lavar a casa de banho que ficou em menos bom estado depois do banho dos miúdos não é. O nosso bem-estar, a nossa saúde, a nossa vida, o nosso amor são prioridade. 

Benefícios: melhora o sono (o orgasmo potencia uma sensação de relaxamento que faz com que durma melhor), diminui o stress (como a hormona Cortisol está presente, no ato, em menos quantidade, isso potencia uma sensação de calma e bem-estar) e diminui a dor (durante o sexo, o nosso corpo produz endorfina, a hormona responsável por aliviar a sensação de dor).

Ser uma super mulher (quer queiramos, quer não, somos todas super mulheres, debaixo de quaisquer circunstâncias) também é isso. Gestora de tempo. Levar, buscar, fazer, organizar, limpar, educar e namorar. Cuidar dos outros e dela própria. Porque, explica a Marta e bem, as relações sexuais são fundamentais para a vida do casal e consequentemente dos filhos – trazem intimidade e estabilidade, ajudam na compreensão e tolerância, diminuindo a margem de dúvida.

Os dias da semana empurram-nos para um ciclo vicioso, para uma rotina mecanizada onde, infelizmente, se vai perdendo o toque. Se deixarmos! É quase como se a casa fosse a nossa fábrica: põe ali, tira daqui, lava a loiça, despeja o lixo, tu vais ler a história enquanto eu arrumo a sala e depois trocamos e tu fazes outra coisa e eu passo à fase seguinte. E nisto as horas passam sem toque. Sem um beijo. Sem um carinho. 

É contornável? Sem qualquer dúvida! Toquem-se. Há lá melhor que um abraço por trás enquanto se está a lavar a loiça? Principalmente: falem. “O que gostavas de fazer diferente?”, “O que podemos fazer para quebrar a rotina?”, “Sentes falta de alguma coisa?”. O sexo entre um casal junto há 2, 5, 10, 30, 50 anos não pode tornar-se aos poucos um tabu. Pelo contrário. Explorem-se. 

MUITO IMPORTANTE: se a falta de desejo sexual resulta de não se sentirem sexys, vamos parar já com isso. Toda e qualquer mulher é sexy. O que vemos nas redes sociais, os corpos trabalhados, os lábios enchidos em clínicas de tratamento, as peles esticadas, aquilo tudo que sabemos, não existe. Uma mulher sexy é uma mulher confiante de si. Não há nada mais sexy do que o poder de uma mulher que se conhece!

Catarina Beato - Blogger e Influencer

Escrito por:
Catarina Beato
Autora do blog Dias de Uma Princesa

Review